Arquivo da tag: Intercâmbio

INTERCÂMBIO DE HIGH SCHOOL OU CURSO DE IDIOMA?

Fazer um intercâmbio é muito mais do que embarcar em uma viagem de férias para conhecer os pontos turísticos de um lugar. O intercâmbio promove uma real imersão cultural, fazendo com que o estudante tenha a oportunidade de expandir seus horizontes através do desenvolvimento pessoal e profissional.

Existem vários programas de intercâmbio e identificar qual deles irá corresponder aos objetivos de cada estudante, é um dos passos mais importantes. High school e curso de idioma são algumas das opções mais procuradas pelos brasileiros, e neste post vou explicar quais são as diferenças entre esses dois tipos de intercâmbio e quais são os requisitos que devem ser levados em conta no momento da escolha.

High school

High school é o mais tradicional programa de intercâmbio e proporciona ao aluno a oportunidade de estudar parte do ensino médio em uma escola regular no exterior, morar com uma família nativa e estar totalmente em contato com os aspectos culturais do país escolhido.

Requisitos

Para participar do programa de high school, é necessário que o aluno tenha entre 15 a 18 anos (podendo variar de acordo com as regras de cada país), estar cursando o ensino médio no Brasil, e ter pelo menos conhecimento intermediário de inglês ou do idioma do país escolhido. Embora o desenvolvimento das habilidades linguísticas seja parte da experiência devido ao contato diário com a língua, vale lembrar que o aluno não irá estudar somente o idioma local, mas sim estudar matérias regulares do ensino médio em uma escola particular ou pública, com estudantes e professores nativos.

Duração

Os estudantes podem cursar um semestre ou um ano letivo do ensino médio no exterior, mas dependendo do país e da disponibilidade do aluno, o tempo estimado pode variar.

Dica: Fique atento ao início do ano letivo do país onde pretende estudar, pois dependendo do lugar, o ano escolar não começa nas primeiras semanas de fevereiro como no Brasil.

Hospedagem

A opção mais tradicional e a melhor forma de imersão cultural é a hospedagem em casa de família. As famílias são rigorosamente selecionadas e oferecem aos alunos um ambiente totalmente acolhedor, tornando-os de certa forma parte da família, pois assumem algumas das responsabilidades que uma família tem com seus filhos. Cada host family tem um estilo de vida, e o grande segredo para um bom convívio é ser flexível e tolerante às diferenças.

Outra opção de hospedagem são residências estudantis, geralmente disponíveis em escolas particulares em alguns países. Essa é uma ótima opção para aqueles que querem ter uma experiência mais acadêmica e conhecer estudantes de vários lugares do mundo.

Considerações

A inscrição para o programa de high school é algo bastante complexo, pois exige o preenchimento detalhado de um application, vários documentos (pessoais e escolares), visto, exames médicos e outros detalhes, portanto, o ideal é entrar em contato com uma agência de intercâmbio, aproximadamente um ano antes da data desejada para o embarque.

Curso de idioma

Curso de idioma é a opção perfeita para aqueles que pretendem aprender ou aprimorar um idioma e ao mesmo tempo explorar as diversas atrações disponíveis na cidade escolhida.

Os alunos que participam deste programa estudam em escolas específicas de inglês (ou do idioma desejado) para estrangeiros, e têm a oportunidade de interagir com pessoas de todas as partes do mundo. As escolas estão aptas a receber estudantes com diferentes níveis de conhecimento da língua – do iniciante ao avançado, incluindo cursos específicos para testes de proficiência.

Dica: quer saber como é estudar na ELS Language Centers – Manhattan e na EC English – Toronto? Eu estudei inglês nessas duas escolas e escrevi dois posts contando em detalhes como é o método de ensino de cada uma delas. Clique nos links abaixo para conferir.

ELS Language Centers – Manhattan

EC English – Toronto

Requisitos

Geralmente a idade mínima para este programa é de 16 anos, mas diferentemente do high school, não existe um limite máximo de idade para fazer um curso de idioma no exterior, desmistificando aquela história de que intercâmbio é coisa de adolescente.

É importante que o aluno tenha maturidade e flexibilidade para lidar com as inúmeras diferenças culturais.

Duração

Uma grande vantagem deste programa é sem dúvida a flexibilidade, pois os cursos podem ter duração de duas semanas até um ano, dependendo da disponibilidade de cada pessoa. Além disso, as escolas recebem novos alunos toda semana ou todo mês em qualquer época do ano.

Dica: muitas agências organizam viagens de estudo e lazer para grupos de adolescentes durante as férias escolares. Os programas geralmente incluem acompanhamento de guias especializados e atividades direcionadas à prática do idioma, diversão e cultura.

Hospedagem

Os dois tipos de hospedagem são: casa de família e residência estudantil. Eu escrevi um post bem detalhado explicando como essas duas opções de acomodação funcionam para estudantes de curso de idioma no exterior. Clique aqui para saber mais.

Considerações

Principalmente para adolescentes que pretendem cursar o ensino médio ou até mesmo fazer faculdade no exterior, o intercâmbio de curso de idioma pode servir como um preparatório para futuras experiências.

Estar inserido em uma cultura diferente expande a nossa consciência e as nossas perspectivas, pois aprendemos a nos comunicar e a compreender o mundo, tornando-nos assim cidadãos globais.

CASA DE FAMÍLIA OU RESIDÊNCIA ESTUDANTIL – QUAL TIPO DE ACOMODAÇÃO ESCOLHER DURANTE O INTERCÂMBIO?

Ohh dúvida cruel

O tipo de acomodação/hospedagem a ser escolhida durante um programa de intercâmbio é uma das decisões mais importantes. Geralmente os dois tipos de acomodação oferecidos para programas de estudo no exterior são: Casa de Família e Residência Estudantil. Ambas oferecem uma vasta troca cultural, mas é fundamental que o estudante entenda as principais diferenças entre uma e outra e saiba identificar qual opção melhor condiz com o seu estilo e com seus objetivos durante a viagem.  

CASA DE FAMÍLIA (HOMESTAY)

A opção homestay consiste em famílias nativas ou de imigrantes (que tenham o idioma local como o principal), que estejam dispostas a receber estudantes de outros países. O recrutamento dessas famílias é de responsabilidade do departamento de acomodação das escolas de idioma, e não das agências de intercâmbio. Existe todo um processo de seleção e preparação das famílias, portanto, somente aquelas que se adequam às exigências elencadas pelas escolas (limpeza, cordialidade, conforto, perfil psicológico), estão aptas a receber os alunos.

É de suma importância lembrar que uma família não é necessariamente composta por uma mãe, um pai, dois filhos e um poodle. Contanto que a família esteja de acordo com os pré-requisitos das escolas, os estudantes podem sim ser recebidos por um casal de idosos, mães ou pais solteiros, entre outras possibilidades. Outro detalhe importante é que na maioria das vezes, as casas estão localizadas em áreas mais distantes da parte central da cidade e até mesmo das escolas.

Uma vez que o aluno decide se hospedar em casa de família, o mesmo recebe um application, que deve ser preenchido com algumas informações pessoais solicitadas. Neste application, o estudante informa se ele apresenta algum tipo de alergia, restrição ou intolerância alimentar, se faz uso de algum tipo de medicamento controlado, entre outras informações…

Geralmente a opção hospedagem em casa de família inclui duas refeições (café da manhã e jantar), quarto individual e banheiro compartilhado ou não. Cada família apresenta um estilo de vida com regras e hábitos que certamente serão diferentes dos seus. Tudo isso é explicado pelos anfitriões logo no primeiro dia. Caso haja problemas reais de convivência, o departamento de acomodação da escola deve ser notificado, desta forma, os responsáveis irão tomar as devidas providências.

A imersão cultural é fantástica e os alunos têm a oportunidade de entender como é a vida de um local na íntegra. Mas é importante ressaltar que os hosts não têm a obrigação de tratar seus intercambistas como membro da família e muito menos satisfazer certas vontades. Tenha em mente que você está alugando um quarto na casa de alguém e o bom senso sempre abre portas para um bom relacionamento.

PS: Para facilitar a aproximação entre estudantes e anfitriões, é interessante, porém não obrigatório, que os intercambistas presenteiem seus hosts com alguma lembrancinha (chaveiros, por exemplo), demonstrando assim cordialidade e gratidão. Outra dica legal, é preparar algum prato típico do Brasil… Não precisa ser nada muito incrível. Os gringos amam o nosso tradicional brigadeiro! 

RESIDÊNCIA ESTUDANTIL

As residências estudantis podem ser definidas como repúblicas ~ completamente diferentes das repúblicas universitárias conhecidas no Brasil ~ e geralmente têm parcerias com várias escolas e universidades. Apesar de ser uma opção de acomodação mais ‘descolada’, as residências são administradas como se fossem hotéis mesmo e a segurança é extremamente eficaz 24 horas por dia.

As comodidades variam muito de residência para residência, mas em geral, o estudante pode escolher entre compartilhar ou não quarto e banheiro com um ou mais intercambistas do mesmo sexo e nacionalidades diferentes. Geralmente as residências não disponibilizam nenhum tipo de alimentação, porém, oferecem serviço de quarto uma vez por semana (na maioria das vezes), cozinha, lavanderia e área de lazer compartilhadas. Além disso, as studenthouses costumam ser mais centralizadas e próximas às escolas e universidades.

Devido à interação com pessoas de vários lugares do mundo e até mesmo com nativos, a troca cultural é inevitável e além disso, o aluno também pratica o idioma local a todo momento, afinal, todos estão ali com o objetivo de aprender ou aprimorar uma língua.

PS: Brasileiros estão por todas as partes, portanto, cuidado para não ficar na zona de conforto e interagir somente com pessoas da sua nacionalidade. Permita-se conhecer outros estilos de vida.

 

Independente de qual acomodação escolher, tenha em mente que ser flexível e estar aberto a novas relações, enriquece ainda mais a experiência cultural. Abra a sua mente! QUER MAIS DICAS? NESTE POST EU SELECIONEI SEIS COISAS QUE TODO INTERCAMBISTA PRECISA SABER, CLIQUE AQUI E CONFIRA!

PS: Obrigada a queridíssima Natália Ferrari, gerente da agência de intercâmbio Intercultural em Dourados, MS, que gentilmente revisou este post antes de ser publicado. Nada melhor do que receber um help de uma expert em todos os assuntos relacionados a esse universo chamado intercâmbio, não é mesmo? 

COMO É ESTUDAR INGLÊS NA EC ENGLISH – TORONTO… ?

4

A EC English é uma escola relativamente nova, pois sua primeira unidade foi fundada em 1991 em Malta. Atualmente atua em cinco países – Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Malta e África do Sul. As escolas estão localizadas em cidades totalmente emblemáticas e nos fazem sentir o verdadeiro prazer de estudar o idioma – Inglês ou Francês.

Importante ressaltar que a EC encontra-se também em Montreal, cidade bilíngue do Canadá, onde a língua francesa se sobressai no dia a dia dos locais. Por essa razão, os alunos podem optar pelo English and French Bilingual Programme. Esse programa permite o aprendizado dos dois idiomas ao mesmo tempo… Incrível né?

Passei um mês estudando na EC em Toronto e no post de hoje vou descrever minha experiência e impressões a respeito da escola. Localizada na Eglinton Ave West a EC é extremamente aconchegante e é impossível não se sentir em casa já logo no primeiro dia.

Primeiro dia de aula na EC English Toronto

No primeiro dia de ”aula” que na realidade nem é aula, todos os newcomers são submetidos a um teste de nivelamento. Em um primeiro momento os teachers recebem os estudantes com uma breve conversa, abordando alguns assuntos relacionados aos interesses de cada um no idioma. Na realidade esse é o speaking test, que é tão espontâneo que de fato parece uma simples conversa. Logo após, são realizados mais três testes: reading, listening e writing.

Com o objetivo de promover um momento de descontração após os testes, a escola oferece um coffee break, possibilitando a interação entre staff e students. Logo após, acontece o welcome talk para a apresentação de algumas informações sobre as aulas, a escola, atividades extras e lifestyle em Toronto.

Ainda no primeiro dia rola um walking tour para apresentar as atrações próximas à escola. Após o almoço, os alunos retornam para receberem o schedule de aulas (core A ou B) e o número da sala. A EC apresenta oito níveis de ensino e os alunos são posicionados de acordo com o grau de conhecimento apresentado no teste de nivelamento.

Cronograma de aulas

Independente da carga horária escolhida, todos os alunos terão aulas no período matutino e vespertino em dias alternados. (Ex: segunda de manhã, terça à tarde…) Para alunos que cursam o programa semi-intensivo, acrescenta-se uma hora e trinta minutos de aulas alternativas de acordo com cada nível. Essas aulas são chamadas ‘elective classes’.

6

7

Algo que me chamou bastante atenção é que a EC oferece também free classes todos os dias e um plano de aula é exposto no mural informando horários, salas e temas a serem abordados. Ou seja, não tem desculpa para não aprender, certo?

3

Aulas, professores e alguns detalhes

A EC oferece um ambiente bem moderninho com lousa digital em todas as salas. As aulas são dinâmicas e descontraídas, tendo como meta o desenvolvimento do speaking – habilidade de conduzir uma conversa sobre qualquer assunto. A cada seis semanas todos os alunos realizam um teste e dependendo do desempenho, podem ‘level up’ – mudar de nível.

Toda semana acontece o ‘reading circle’. Os professores entregam parte de uma história (respeitando o nível de cada sala) e uma “tarefa” a ser realizada. Cada aluno recebe uma missão diferente, por exemplo: resumir a história, comparar com fatos reais, discutir o significado de vocabulário desconhecido e por aí vai… A história deve ser lida com antecedência e em sala rola uma discussão a respeito. É trabalhoso, mas extremamente enriquecedor!

Todos os professores são qualificados pelo CELTA, que nada mais é que um exame internacional específico para professores de língua inglesa. Devido ao fato de Toronto ser uma cidade multicultural, grande parte do corpo docente não é de origem canadense e alguns até estudaram na própria EC e construíram carreira lá mesmo.

A EC apresenta uma atmosfera superdescontraída e a relação entre staff e alunos é geralmente bem amigável. Essa escola disponibiliza também vários cursos, como: Inglês geral, Inglês para negócios, preparatórios para exames e muitos outros… Clique aqui para saber mais.

1

Não é novidade para ninguém que o Inglês abre portas e atualmente é um pré-requisito para admissão em qualquer área. Quando estudamos em outro país, encontramos pessoas de todos os lugares do mundo e isso nos permite entender que através do idioma podemos encurtar distâncias e a EC está de portas abertas para ajudar no que for preciso.

PS: A EC foi a minha segunda experiência de estudar Inglês no exterior. Meu primeiro contato com uma escola para estrangeiros foi com a ELS Language Centers em Nova York. Quer saber como foi? ENTÃO CLIQUE AQUI!!!

 

O LUGAR DESENHA A HISTÓRIA…

027

Localizada na província de Ontário no Canadá e com cerca de cinco milhões de habitantes, Toronto é a capital financeira e industrial do país e a quarta maior cidade da América do Norte. Na língua indígena, Toronto significa ‘PONTO DE ENCONTRO. ’  – que marca a história de aproximadamente 80 grupos étnicos em um dos lugares mais multiculturais do mundo. Isso é no mínimo fascinante, não é mesmo? Além disso, atualmente é uma das cidades que mais recebem estudantes estrangeiros, pois abriga as principais universidades e escolas de Inglês do Canadá – o que a torna ainda mais cosmopolita.

065

070

Toronto é uma cidade de concreto e aço, com vários arranha-céus imponentes e centros empresariais, ou seja, é uma ‘cidade de negócios’. Isso tudo resume o modernismo predominante por lá. Em contrapartida, é surpreendente ver que na realidade Toronto nos oferece um pouco de todos os mundos. Natureza, urbanização, arte e cultura ao mesmo tempo. Não há o que duvidar, é uma cidade que deve ser apreciada sem pressa.

043

Entre um arranha-céu e outro, surgem parques, praças e lindas praias com banquinhos, carros vendendo o melhor sorvete do mundo e pessoas caminhando com seus cachorros, ou até mesmo correndo para manter a forma… Se os bares e pubs ao longo na Queen street são o ponto principal da vida noturna de Toronto, os festivais culturais são a marca do verão Torontoniano.

030

096

242

012
Cerveja sem glúten.
PS: Sabe-se que a Queen street é famosa por apresentar os maiores agitos da vida noturna, bem como ótimos restaurantes e cafés, mas, nunca descarte a possibilidade de explorar áreas que fogem do óbvio, pois garanto que você irá se impressionar com as descobertas aleatórias…

É inspirador se deparar com uma certa CN  Tower entre os prédios, que por sinal, faz jus ao título de cartão postal de Toronto. A Casa Loma é o castelo dos sonhos de qualquer um, mas o caminho que percorremos para chegar até lá é detalhadamente perfeito. As Ilhas são providenciais para um rolê de bike e um piquenique com os amigos em um Sábado ensolarado, e o skyline de Toronto é uma consequência sensacional do passeio. O High Park é o maior parque de Toronto e é o lugar ideal para recarregar todas as baterias e seguir em frente.

Toronto é uma das melhores cidades para se viver atualmente e a qualidade de vida se faz presente em todas as partes… Incrivelmente limpa, segura, transporte público eficiente e extrema cordialidade por parte dos locais. Pronto, alcançou a perfeição!

A educação, receptividade e a cordialidade dos Torontonianos é algo completamente à parte. A fim de acolher os visitantes da melhor maneira possível, os locais demonstram uma satisfação absurda em ajudar sem receber nada em troca. É possível perceber sinceridade em grande parte das boas intenções.

A imagem abaixo é autoexplicativa. A grande diversidade étnica, artística e cultural da maior cidade do Canadá oferece um dinamismo proporcional e deixa claro aos seus visitantes que não há espaço algum para o tédio. Fiquei um mês em Toronto e a história que vivi nesse lugar me fez voltar para casa com um sentimento de que “QUERIA TER FICADO MAIS…”

115Quer ver mais imagens? Clique no vídeo abaixo e ENJOY!!!!!

INTERCÂMBIO DE A a Z – UM PLANETA DE BOLSO ESCRITO POR MARINA MOTTA

foto 4

No post de hoje vou contar um pouquinho sobre o livro Intercâmbio de A a Z,  que na minha opinião, é a inspiração perfeita para quem precisa daquele ‘empurrãozinho’ para se aventurar em um intercâmbio… O livro foi escrito por Marina Motta, também autora do blog Intercâmbio de A a Z e  claro, expert em viagens, pois já esteve em 11 intercâmbios e é fluente em cinco idiomas.

Eu tenho uma admiração à parte por Marina, pois foi ela quem me inspirou (indiretamente, claro) e me fez enxergar que um intercâmbio poderia ser a melhor experiência da minha vida.  Contei na minha descrição pessoal como a conheci, caso se interesse, clique aqui.

Sobre a autora – Marina começou sua vida de intercambista muito cedo, aos 14 anos na Inglaterra. A princípio, foram experiências curtas, durante o período de férias escolares. Marina conta que foi a melhor escolha, pois desta forma, aprendeu a lidar com a saudade e conseguiu se preparar para explorar o mundo com muito mais confiança. Foram 11 intercâmbios realizados em diferentes cidades da Inglaterra, Estados Unidos, Austrália, Canadá, França e Alemanha.

Marina é formada em Relações Internacionais e Administração de Empresas e atualmente trabalha como gerente do departamento de intercâmbio de uma das maiores agências do Brasil, portanto, as viagens continuam fazendo parte de sua rotina.

Sem dúvidas, Marina voltou de cada intercâmbio com as malas repletas de aprendizados e experiências. Uma bagagem para a vida inteira… Ela deixa bem claro que cada viagem deixou um legado diferente, principalmente porque foram realizadas em lugares e com pessoas diferentes, e com o passar o tempo, os propósitos tomaram rumos mais específicos, de acordo com cada momento da vida da autora.

“Quando vivemos um programa de intercâmbio, devemos nos despertar  para o mundo e para todos os sentidos, afinal se trata de uma experiência de vida que deve ser usufruída na sua plenitude.”

foto 2

Sobre o livro: Como disse Pedro Fonseca, esse livro vai além de um simples guia, pois é uma história de vida de uma jovem que literalmente decidiu abraçar o mundo, e de lembrança, nos trouxe todas as suas experiências compiladas em 237 páginas.

Ainda no prefácio, lê-se: “Em caso de emergência, um desses exemplares deveria cair automaticamente.” Todos os assuntos que envolvem intercâmbio, como, estudar, trabalhar, casa de família, residência estudantil, destinos, ansiedade, gastos, bagagem, medo, expectativas, saudade, diferença cultural, vistos, passaporte, entre outros, foram minuciosamente organizados em capítulos de A a Z, e cada um retrata diferentes sentimentos, percepções e acima de tudo, lições de vida.

foto 3

Intercâmbio de A a Z é a melhor companhia para os pré-intercambistas e seus familiares, pois através da leitura, percebe-se que os assuntos fluem como terapia e todas as dúvidas vão sendo eliminadas gradativamente, e aos poucos, somos transportados a diferentes lugares do mundo.

“APERTEM OS CINTOS, SEGUREM A SAUDADE (ELA PASSA!) E EMBARQUEM NESTA VIAGEM EM BUSCA DE CULTURA, AUTONOMIA E AUTOCONHECIMENTO.”

Boa leitura e boa viagem, afinal, Marina esteve em 11 intercâmbios e lembrou de você!!!

foto 1

 

 

COISAS QUE TODO INTERCAMBISTA PRECISA SABER…

Não é novidade pra ninguém que um intercâmbio é uma experiência enriquecedora. Viver por um tempo em outro país, provoca uma mudança significativa na forma como nos posicionamos em certas circunstâncias, e isso nos faz encarar a vida de uma maneira totalmente diferente… É uma aventura que quando vivida, nos transmite a sensação de estarmos muito mais preparados para qualquer coisa na vida! Entretanto, existem certas verdades que precisam ser ditas e analisadas antes do embarque…

A imersão cultural nos transporta para um mundo que até então era desconhecido, e tudo aquilo que de alguma forma foge do nosso controle, causa um certo pânico… Portanto, resolvi destacar alguns tópicos que irão te ajudar a trabalhar o seu psicológico para encarar e aproveitar a sua viagem da melhor forma possível. Ready?

MATURIDDE

Ter maturidade não significa necessariamente ter a idade X ou Y, mas ter consciência do passo a ser dado e o quanto ele pode acrescentar em nossa vida. Em um intercâmbio, ficamos expostos a um mundo de desafios, aprendizados e diversão, portanto, é preciso saber balancear as possibilidades para que consigamos aproveitá-las de maneira correta. Lembrando que isso não vale somente para o intercâmbio, mas para qualquer coisa na vida!

ESCOLHA O TIPO DE INTERCÂMBIO QUE TENHA TUDO A VER COM SEU PERFIL

Essa é uma dúvida bastante comum quando o assunto é intercâmbio, afinal, existem várias possibilidades… Passar um ano letivo convivendo com uma família local; estudar um novo idioma em uma escola para estrangeiros e conhecer pessoas do mundo inteiro; estudar, trabalhar e juntar uma grana para viajar e conhecer lugares incríveis; assumir as responsabilidades de uma au pair; viajar, aprender outro idioma e ainda atuar em prol de uma causa nobre em um trabalho voluntário… As opções são inúmeras e tenho certeza que pelo menos uma delas irá causar aquele ‘match’!

DESTINO

Se você, assim como eu, é o tipo de pessoa que quer estar em NY, Londres, Veneza, Sidney, Auckland e Malta ao mesmo tempo, sinto informar que é preciso segurar a empolgação. É importante escolher um destino que faça seus olhos brilharem e seu coração bater mais forte, mas é fundamental que ele se encaixe ao tipo de intercâmbio que deseja fazer. Expectativas sem foco te deixarão cada vez mais distante do dia do embarque.

SAIBA SE EXPRESSAR

Infelizmente muitas relações se desgastam por falta de comunicação clara de ambas as partes. Saber se expressar não significa necessariamente ter um ótimo Inglês, Francês ou Espanhol… O conhecimento linguístico é indispensável, mas acima de tudo, é essencial que sejamos claros para que as relações possam fluir.

Não podemos impor nossas necessidades, mas por outro lado, não somos obrigados a conviver com uma situação que não nos agrada. É preciso abordar o assunto em questão de maneira sutil e educada, respeitando o espaço do outro e também o nosso próprio espaço. *PS: E se o idioma ainda for uma barreira, use o google tradutor, afinal, ele é uma ótima ferramenta de comunicação.

Esse é um ótimo exercício para aplicar no dia a dia com nossos amigos e pessoas mais próximas… Não podemos deixar de nos expressar por medo ou por vergonha da reação dos outros.

NÃO DESISTA NOS PRIMEIROS CINCO MINUTOS DE PÂNICO

Fazer um intercâmbio envolve muitas etapas, e a principal delas é controlar o nosso psicológico, afinal, é mais fácil lutar contra um dragão do que lutar contra nossas emoções, não é mesmo? É!!!

Um dos períodos mais difíceis em um intercâmbio, seja ele de um ano ou um mês, é a adaptação a uma nova cultura, idioma e estilo de vida. Tudo parece ser difícil! A comida é estranha, e apesar de o transporte público ser muito eficiente (pelo menos quase sempre), a princípio ele parece um bicho de sete cabeças e a maioria dos intercambistas apanha um pouquinho até aprender a utilizá-lo…

As adversidades atraem um sentimento bastante comum, – SAUDADE! Junto com a saudade, vem a vontade de jogar tudo para o alto e desistir… CALMA! O choque cultural é parte da experiência e encarar as dificuldades com positividade ao invés de levar tudo a ferro e fogo também… E aí eu abro espaço para o último tópico…

SEJA FLEXÍVEL

Nós estamos acostumados a viver na nossa zona de conforto e isso não é ruim, pois é justamente o que nos dá estabilidade, mas ser flexível com as situações inusitadas e com os ‘mini perrengues’ durante um intercâmbio, nos faz encarar as mudanças de uma maneira muito mais leve.

Estar aberto para novas relações torna a experiência muito mais rica. Dar-nos a chance de conhecer melhor pessoas que não têm nada a ver com a gente, pode abrir portas para uma grande amizade. Não estou dizendo que essas pessoas tenham que ser suas melhores amigas para a vida inteira, mas conviver com as diferenças e aceitar que cada uma tem algo bom para acrescentar na nossa vida, é um exercício de tolerância e sabedoria.

Da mesma forma que levamos na bagagem de volta vários souvenirs dos lugares que visitamos, por que não levar também bons momentos e pessoas especiais, não é mesmo?

Eu digo por experiência própria que o destino escolhido é um fator determinante, mas quando olhamos as fotos do intercâmbio, as paisagens, os passeios e os pontos turísticos, não são admirados individualmente, mas sim associados às pessoas com quem compartilhamos tudo isso… Podemos voltar mil vezes à mesma cidade, mas jamais conseguiremos reproduzir aqueles momentos vividos durante o intercâmbio. As pessoas não serão as mesmas, e provavelmente nós também não seremos mais os mesmos, e o que fica são as recordações de uma etapa incrível da nossa vida…

A fase nova da nossa vida começa todo dia e tudo está em constante mudança, então não deixe que os bons momentos se percam no tempo, aproveite-os da melhor forma possível, porque eles não voltam…

COMO É ESTUDAR INGLÊS NA ELS LANGUAGE CENTERS – MANHATTAN…?

Então, vamos estudar Inglês no exterior? Por que não, né? Estudei por quase seis meses na ELS – Manhattan e hoje venho contar para vocês um pouquinho da minha experiência.

A primeira escola da ELS Language Centers foi fundada em 1961, em New Jersey – USA, e agora, podemos encontrar sedes em várias cidades dos Estados Unidos, Canadá e Austrália. A ELS – Manhattan situa-se no campus urbano da Adelphi University, em um prédio comercial no centro financeiro de Manhattan. A localização é bastante privilegiada, com acesso fácil e rápido a todos os meios de transporte de NY.

É de suma importância ressaltar que essa é uma escola extremamente acadêmica, que apresenta como meta principal preparar os alunos para testes de proficiência, que são pré-requisitos para admissão de estrangeiros em universidades no exterior.

A ELS apresenta 12 níveis de estudo, desde o iniciante até o avançado e masters. O tempo de estudo para cada nível é de um mês. Se o aluno começa a estudar no nível 4, ele terá um mês de aulas, para  avançar e chegar ao nível 5… Estudantes com qualquer nível de inglês podem estudar na ELS Language Centers, pois assim como na maioria das escolas, os alunos passam por um ‘teste de nivelamento’ logo no primeiro dia de ‘aula’, o qual permite que os professores avaliem o nível de inglês de cada um.

Uma vez que o aluno decide estudar nessa escola, o mesmo pode escolher entre o Semi-Intensive English Program e o Intensive English Program. Além das aulas no período matutino, o Intensive English, oferece também aulas mais específicas no período vespertino, como, pronúncia; Inglês para negócios; conversação… Eu fiz o Semi-Intensive English e agora vou explicar como é a rotina de estudos.

ELS3

ELS2

As aulas começam às 09h e terminam às 12h50 e são divididas em Reading and Writing; Structure and Speaking Practice e Computer Lab. As aulas de Reading and Writing têm duração de 50 minutos e são importantes para que o aluno desenvolva a habilidade de escrever nos moldes acadêmicos e consequentemente fazer uso de um vocabulário mais culto, além disso, o aluno amplia capacidade de interpretação através do ‘reading for the main idea’ . Dependendo do nível, os alunos devem fazer um ‘book report’ que consiste em ler um livro e escrever um resumo para entregar ao professor no final do ciclo.

ELS4

As aulas de ‘Structure and Speaking Practice’ são mais demoradas, com 1 hora e 50 minutos de duração. O objetivo é abordar estruturas gramaticais, mas principalmente, fazer com que os alunos se expressem oralmente com total facilidade e confiança. A partir do nível intermediário, os alunos devem preparar uma ‘speaking presentation’ ou seja, escolher um tema, estudar e explicar para seus classmates em datas estabelecidas pelo professor.

ELS5

As aulas no ‘Computer Lab’ têm duração de 50 minutos e geralmente o estudante faz atividades dinâmicas na internet, oferecidas pela plataforma da própria escola”. Essas aulas são interessantes porque geralmente alunos de outras turmas se juntam à sua e você acaba interagindo com pessoas diferentes e consequentemente fazendo novos amigos.

ELS1

Na metade de cada ciclo, todos os alunos são submetidos a um teste chamado ‘Mid Term’, tanto em Reading and Writing, quanto em Structure and Speaking Practice. Esse teste avalia o desenvolvimento de cada aluno até o momento e ao final do ciclo, todos são submetidos ao ‘Final Exam’ e esse é o teste decisivo, que indicará se o estudante está ou não preparado para avançar. É importante ressaltar que todas as atividades são desenvolvidas de acordo com o nível de cada aluno possibilitando a prática de todas as habilidades de forma gradativa e eficaz.

ELS
Todos os alunos recebem um certificado no final da temporada de estudos na ELS, que comprova o nível de Inglês de cada um.

Bom, pelo que vocês puderam perceber, não tem moleza, né? Homework, redação, provas, apresentações, leitura e mais leitura e por aí vai, são atividades constantes e devo reconhecer que tudo isso foi fundamental para o meu aprendizado. Mas como “aprender Inglês” não se resume única e exclusivamente em uma sala de aula, alunos e professores, a escola disponibiliza atividades extras no período da tarde, como visitas a museus, parques, musicais, entre outras atrações e pontos turísticos da cidade… A escola organiza inclusive excursões de fim de semana….

PS: Acho importante mencionar que o estúdio fotográfico da Macy’s e da Bloomingdales encontra-se no mesmo andar que a escola, então é absolutamente normal você estar andando pelos corredores e se deparar com um modelo fotografando a nova coleção… (Só pra constar)

Sabemos que ao estudar inglês no exterior e estar em contato com a cultura e o idioma 24 horas, faz com que o aluno alcance a fluência de forma mais rápida, no entanto, vale lembrar que escola e programa de intercâmbio nenhum fazem milagre, caso o aluno não se esforce. É muito importante que o mesmo tenha maturidade, dedicação e principalmente, muita vontade de realmente aprender a língua inglesa. Esse pode ser o diferencial no seu currículo, só depende de você aproveitar ou não a oportunidade!

COME TO ELS – MANHATTAN!!!

SALÃO DO ESTUDANTE 2014 – EU FUI!!!

1

 

O Salão do Estudante é a maior feira de intercâmbio da América Latina. O evento reuniu diversos expositores na capital Paulista, entre eles agências de intercâmbio, escolas de idiomas e universidades do mundo inteiro com a finalidade de oferecer oportunidades tanto de estudo quanto de trabalho no exterior. O evento se iniciou no dia 14 de Setembro em São Paulo, mas percorrerá por mais cinco capitais até o dia 25 deste mesmo mês.

2

Intercâmbio vem sendo uma ótima opção para aqueles que pretendem dar uma turbinada no currículo através de uma experiência internacional. Conhecer uma cultura diferente, aperfeiçoar ou aprender um idioma, passar um ano estudando em uma escola regular nos Estados Unidos, Canadá, Austrália ou em algum outro lugar do mundo, ser um voluntário e levar esperança para quem sobrevive precariamente, trabalhar e estudar na sua área de formação ou até mesmo reunir a galera teen e embarcar em um programa de intercâmbio para adolescentes no período de férias escolar. O Salão do Estudante promove uma visão geral do que é viver algo revigorante e adquirir um diferencial para conseguir melhores oportunidades no mercado de trabalho, que por sua vez encontra-se cada vez mais concorrido.

Este evento acontece duas vezes ao ano e é possível se deparar com tudo o que há de mais inovador na atmosfera denominada intercâmbio. Os expositores se organizam em stands e estão à disposição dos visitantes. Melhores destinos para cursos de idiomas, fugir ou não fugir dos brasileiros, metrópoles ou cidades pequenas, inverno ou verão, College X University, trabalhar e estudar, estudar para depois trabalhar, trainee, diferentes tipos de vistos, enfim… Todas essas informações variam muito de país para país e o salão do estudante está sempre pronto para divulgar todas as tendências e demais curiosidades.

3

4

Intercâmbio é um termo bastante difundido nos dias de hoje, portanto basta dar um google rápido para estar de frente com inúmeras opções de programas e destinos super atraentes… Antigamente, quando se ouvia falar em intercâmbio, todos já imaginavam um adolescente indo para os Estados Unidos e um gringo também adolescente vindo passar uma temporada no Brasil. Acontece que as possibilidades se expandiram e atualmente existem programas de intercâmbio inclusive para a melhor idade!

Principais programas de intercâmbio.

– High School: Qual adolescente que nunca quis estudar em uma daquelas escolas americanas dos filmes de Hollywood? Cheerleaders, atletas, os grupinhos de amigos, o troca-troca de salas no intervalo das aulas, participar do tão famoso Prom, o baile de formatura dos alunos Senior (último ano do Ensino Médio)… Mas não se esqueça que além das escolas americanas vistas em filmes, existe um mundo inteiro de culturas e idiomas que abrem um leque de possibilidades variadas.

O programa High School é ideal para jovens entre 15 e 18 anos que estejam dispostos a vivenciar na íntegra a oportunidade de fazer parte de uma outra cultura e ser membro de uma família no exterior, possibilitando estreitar os laços de amizades no país escolhido. Este é o programa ideal para encarar uma outra realidade, aprender e adquirir maturidade.

Os estudantes que queiram participar dessa rica experiência, devem estar preparados para o “temido” application, que em resumo é um detalhado questionário que deve ser preenchido no idioma do país escolhido, que garante a escolha da família que melhor se adequa  ao estilo de vida de cada aluno. Através do application, os organizadores buscam um balanceamento entre afinidades e diferenças, para que não haja um choque cultural muito drástico que possa resultar em um trauma na vida do adolescente.

 – Curso de Idioma: Ter fluência em um outro idioma não é mais uma questão de exibicionismo, mas uma obrigação para quem almeja obter sucesso no disputadíssimo mercado de trabalho. Existem diferentes cursos e métodos que certamente farão com que o aluno chegue exatamente onde ele quer chegar, no entanto o método mais rápido e eficaz é estudar no exterior onde o idioma é a língua nativa. Não tem escolha, a prática diária e rotineira proporciona ao aluno a oportunidade de vivenciar o idioma inteiramente, desenvolvendo todas as habilidades de forma natural e consistente (escrita, oralidade, compreensão auditiva e gramatical).

5

As escolas de idiomas no exterior estão preparadas para oferecer várias propostas que são capazes de atender todo e qualquer tipo de demanda em diferentes países. O aluno pode optar por diferentes cursos, como, inglês geral, sendo que nesse curso o aluno pode ingressar com qualquer nível no idioma, pois um teste de nivelamento será realizado logo no primeiro dia de aula para saber qual será a sala ideal para o aprendizado. Além disso, as escolas oferecem também opções de cursos para negócios, preparatórios para exames de proficiência e até mesmo cursos extras incluindo teatro, fotografia, culinária entre outros…

O programa também oferece dois tipos de acomodação, casa de família, ou residência estudantil. A acomodação em casa de família é recomendada para estudantes mais novos, pois deverão seguir e respeitar as regras da casa, uma ótima oportunidade de amadurecimento. A acomodação em residência estudantil é indicada para estudantes mais maduros e que prezam pela liberdade. Geralmente em uma residência estudantil o aluno divide apartamento com outros estudantes de diversos países, o que proporciona uma rica troca cultural.

Este é o programa ideal para turbinar de uma vez por todas o seu currículo, pois firmar fluência em outro idioma é indiscutivelmente primordial para despertar o interesse dos empregadores de diversas áreas.

– Trabalhar e Estudar: Alguns países permitem que o estudante trabalhe legalmente por determinada carga horária durante ou após o curso. Assim como no programa de Curso de Idioma, o aluno será matriculado em uma escola onde há turmas para todos os níveis, mas para conseguir um bom emprego é recomendável que o estudante tenha no mínimo um conhecimento intermediário do idioma local.

O conselho básico para estudantes interessados nesse programa é que sejam flexíveis com as posições de trabalho e que estejam dispostos a aprender, pois a experiência de ter trabalhado no exterior vem sendo cada vez mais valorizada pelos empregadores.

– Trabalho Voluntário: Os trabalhos voluntários são geralmente projetos sociais e projetos com animais em extinção. Neste programa o intercambista vive uma experiência que fará toda a diferença para as comunidades carentes do mundo afora. Além de conhecer uma outra cultura e um outro país, a pessoa trabalha em benefício de uma causa nobre.  Essa experiência também vem sendo bastante valorizada por empresas em busca de profissionais que apresentam uma nova maneira de ver o mundo, através de uma visão menos robotizada.

– Au Pair: Este é um programa de intercâmbio que oferece a oportunidade de estudar o idioma local e paralelamente trabalhar cuidando de crianças por um ano. Durante o período de permanência, a Au Pair ocupará o lugar de “irmã mais velha” e irá conviver e trocar experiências incríveis com uma família hospedeira. Existem alguns pré-requisitos que devem ser seguidos pela candidata antes de se inscrever para o programa. Ter entre 18 e 26 anos, ser solteira, ensino médio concluído e ter carteira de habilitação são alguns deles.

Que um intercâmbio pode ser a “cereja do bolo” na vida de quem procura um espaço no mercado de trabalho, isso é fato, mas as vantagens podem ir muito além disso, pois através das experiências vividas em um intercâmbio é possível se autodescobrir e se reinventar…  Mas para que seu investimento seja bem sucedido do início ao fim, é preciso escolher uma boa agência de intercâmbio. No Salão do Estudante, os visitantes têm a oportunidade de conhecer diferentes agências e suas especialidades, expor seus interesses, ouvir as propostas e programar a viagem que irá abrir portas e te fazer enxergar o mundo por um outro ponto de vista!

6

 

 

INTERCÂMBIO: SE PERDER EM ALGUM LUGAR DO MUNDO PARA SE ENCONTRAR

Intercâmbio – “ Troca constante de relações, sejam elas comerciais ou culturais entre nações.” Como o próprio nome diz, intercâmbio significa uma troca generalizada e de brinde, uma experiência de vida que só quem se arrisca a atravessar o oceano em busca de um sonho sabe do que estou falando. E pra mim, um intercâmbio, seja ele qual for (high school, curso de idioma, trabalho), resume em você se permitir viver uma outra vida.

Primeiros passos…

Sempre tive o sonho de conhecer a fundo alguma cidade aleatória em algum lugar do mundo e mergulhar na cultura local, mas nunca consegui trazer isso pra realidade, talvez por imaturidade mesmo. Em 2011, eu decidi que precisava viver algo intenso, algo que eu pudesse olhar para trás alguns anos depois e dizer com total convicção: I had the time of my life! A ideia de fazer intercâmbio caiu como uma luva… Foram alguns meses de muita pesquisa e trocas de e-mails com pessoas que realmente entendiam do assunto à procura da melhor agência e do programa que melhor correspondesse às minhas expectativas.

Planejei tudo cuidadosamente para não correr riscos e decidi que o melhor seria fazer um curso de inglês por três meses em Boston. Por que Boston? Ah porque é uma cidade que possui um extenso centro universitário e educação de altíssima qualidade, pois abriga nada mais nada menos que Harvard University e MIT Massachusetts Institute of Technology.

No dia 10 de Dezembro de 2011, às vésperas das festas de fim de ano, quando o verão estava começando no Brasil, resolvi deixar a minha zona de conforto e fui…  Choque cultural, adaptação, o diferente, o inesperado, enfim, estava tudo muito bem trabalhado emocionalmente, claro que na teoria, porque na prática… Quando cheguei em Boston e comecei a viver a experiência de fato, eu surtei. Não conseguia lidar com o tal do inusitado que eu tanto procurava. A saudade de casa, a solidão e a dúvida começaram a falar mais alto e lembro-me perfeitamente de chorar até dormir. Depois de quase um mês nesse impasse, surgiu a oportunidade de tentar algo diferente em Nova York e essa foi a melhor coisa que já me aconteceu na vida.

1

 A experiência…

O fato é que hoje eu entendo que na realidade, eu me blindei a tudo e a todos durante o período em que estava em Boston e se tem uma lição que eu tirei disso foi: VOCÊ PRECISA SE ADAPTAR AO MEIO E NÃO O MEIO SE ADAPTAR A VOCÊ. Nenhum começo é fácil e estar em um país onde você não conhece ninguém e ninguém conhece você é sim assustador a princípio e claro que o desespero é inevitável, entretanto o controle emocional é primordial. Sempre vão existir momentos de saudade do abraço da sua mãe, da risada do seu pai, dos encontros com os amigos, mas não rola pegar um ônibus de volta pra casa.

Uma vez que você se dispõe e viver uma experiência internacional, é preciso estar aberto a todas as oportunidades, pois o intercâmbio te proporciona várias delas. Quando cheguei em Nova York, o ritmo da metrópole me contagiou e decidi colocar uma coisa na minha cabeça de uma vez por todas: só iria depender de mim fazer a experiência valer a pena e foi a partir desse momento que tudo começou a fazer sentido. Fiz amizades tanto na escola quanto fora dela, aprendi a entender o mapa do metrô e a usá-lo a meu favor para vasculhar ao máximo tudo o que a cidade tinha pra me oferecer… Finalmente comecei a viver uma vida que eu pudesse chamar de “minha” e os três meses chegariam ao fim em poucos dias e uma vez que eu havia entendido as leis básicas de um intercâmbio, isso soava como “tirar o doce da boca de uma criança”, então os três meses se estenderam para seis no total.

O tempo passou e eu já estava totalmente íntima do idioma local, bem como do “New Yorker lifestyle”, criei uma rotina (meio maluca, mas era uma rotina) e descobri o prazer de construir uma vida, sim, eu disse uma vida, pois eu me deparei com novos princípios e os antigos, aqueles que me fizeram aterrissar em Boston, já não faziam mais sentido. Eu tive a oportunidade de me reinventar e mesmo a quilômetros de casa a possibilidade de me sentir realizada não era remota, muito pelo contrário, ela era mais real do que nunca!

Tive que aprender a lidar com os contratempos com muita maturidade e responsabilidade, que resultaram em muito aprendizado, tanto no idioma, quanto de vida. O intercâmbio foi a melhor maneira para eu amadurecer e entender que nada daquilo era um roteiro de Hollywood, e são as dificuldades que nos tornam mais fortes, além do mais o clichê “é errando que se aprende” faz muito sentido na vida de todos os intercambistas, pois é preciso ter muita coragem pra correr o risco de tentar, errar e aprender a acertar. A chance de fazer tudo ser inesquecível é única, então, não dá pra ficar no quarto assistindo o tempo passar, é preciso correr atrás do objetivo para ter um saldo positivo de aproveitamento.

 Amizades…

Em um intercâmbio de curso de idioma, você raramente irá fazer amizades com os locais, pois em uma escala de 0 a 1000, o nível de diversidade cultural na escola é de 990, mais ou menos isso, então você irá se relacionar com pessoas do mundo inteiro.

2

Alguns irão ser seus roommates e dividir quarto com você na residência estudantil ou na casa de família, outros serão seus classmates e companheiros de trabalhos em sala. Alguns serão parceiros de passeios turísticos na cidade e de viagens durante a viagem,  outros serão seus parceiros de baladas.

3

Com alguns você irá manter contato por anos a fio, com outros, infelizmente não, mas cada um terá um lugar especial no seu coração para sempre e certamente, você também estará no coração dessas pessoas pelo mundo afora.

Durante o intercâmbio compartilhamos diversos momentos, sentimentos e emoções com pessoas que nunca tínhamos visto antes, isso acontece de forma tão intensa que elas se tonam “nossos amigos de infância” e uma das coisas mais tristes é ter que lidar com as despedidas que geralmente acontecem a cada mês… Eu sei que posso voltar a NY por mais um milhão de vezes, mas jamais terei o replay de tudo o que vivi durante o intercâmbio.

4 5

A Baunilha em seu último post no Blog Embaixador STB disse: “Fazer intercâmbio me ajudou a descobrir a mim mesma e ver o mundo com outros olhos. Olhos curiosos sobre o que acontece ao meu redor. Inspirados a seguir em frente sem medo do mundo e com muito mais coragem de enfrentar os desafios e abraçar o meu destino.” É exatamente este legado que um intercâmbio deixa na vida de quem o vive. Espero ter inspirado e encorajado alguém, em algum lugar, a dar o primeiro passo em busca da melhor experiência de vida EVER!

“ÀS VEZES É PRECISO SE AVENTURAR FORA DO SEU MUNDO PARA SE ENCONTRAR”