Arquivo da tag: Aprendizado

COISAS QUE TODO INTERCAMBISTA PRECISA SABER…

Não é novidade pra ninguém que um intercâmbio é uma experiência enriquecedora. Viver por um tempo em outro país, provoca uma mudança significativa na forma como nos posicionamos em certas circunstâncias, e isso nos faz encarar a vida de uma maneira totalmente diferente… É uma aventura que quando vivida, nos transmite a sensação de estarmos muito mais preparados para qualquer coisa na vida! Entretanto, existem certas verdades que precisam ser ditas e analisadas antes do embarque…

A imersão cultural nos transporta para um mundo que até então era desconhecido, e tudo aquilo que de alguma forma foge do nosso controle, causa um certo pânico… Portanto, resolvi destacar alguns tópicos que irão te ajudar a trabalhar o seu psicológico para encarar e aproveitar a sua viagem da melhor forma possível. Ready?

MATURIDDE

Ter maturidade não significa necessariamente ter a idade X ou Y, mas ter consciência do passo a ser dado e o quanto ele pode acrescentar em nossa vida. Em um intercâmbio, ficamos expostos a um mundo de desafios, aprendizados e diversão, portanto, é preciso saber balancear as possibilidades para que consigamos aproveitá-las de maneira correta. Lembrando que isso não vale somente para o intercâmbio, mas para qualquer coisa na vida!

ESCOLHA O TIPO DE INTERCÂMBIO QUE TENHA TUDO A VER COM SEU PERFIL

Essa é uma dúvida bastante comum quando o assunto é intercâmbio, afinal, existem várias possibilidades… Passar um ano letivo convivendo com uma família local; estudar um novo idioma em uma escola para estrangeiros e conhecer pessoas do mundo inteiro; estudar, trabalhar e juntar uma grana para viajar e conhecer lugares incríveis; assumir as responsabilidades de uma au pair; viajar, aprender outro idioma e ainda atuar em prol de uma causa nobre em um trabalho voluntário… As opções são inúmeras e tenho certeza que pelo menos uma delas irá causar aquele ‘match’!

DESTINO

Se você, assim como eu, é o tipo de pessoa que quer estar em NY, Londres, Veneza, Sidney, Auckland e Malta ao mesmo tempo, sinto informar que é preciso segurar a empolgação. É importante escolher um destino que faça seus olhos brilharem e seu coração bater mais forte, mas é fundamental que ele se encaixe ao tipo de intercâmbio que deseja fazer. Expectativas sem foco te deixarão cada vez mais distante do dia do embarque.

SAIBA SE EXPRESSAR

Infelizmente muitas relações se desgastam por falta de comunicação clara de ambas as partes. Saber se expressar não significa necessariamente ter um ótimo Inglês, Francês ou Espanhol… O conhecimento linguístico é indispensável, mas acima de tudo, é essencial que sejamos claros para que as relações possam fluir.

Não podemos impor nossas necessidades, mas por outro lado, não somos obrigados a conviver com uma situação que não nos agrada. É preciso abordar o assunto em questão de maneira sutil e educada, respeitando o espaço do outro e também o nosso próprio espaço. *PS: E se o idioma ainda for uma barreira, use o google tradutor, afinal, ele é uma ótima ferramenta de comunicação.

Esse é um ótimo exercício para aplicar no dia a dia com nossos amigos e pessoas mais próximas… Não podemos deixar de nos expressar por medo ou por vergonha da reação dos outros.

NÃO DESISTA NOS PRIMEIROS CINCO MINUTOS DE PÂNICO

Fazer um intercâmbio envolve muitas etapas, e a principal delas é controlar o nosso psicológico, afinal, é mais fácil lutar contra um dragão do que lutar contra nossas emoções, não é mesmo? É!!!

Um dos períodos mais difíceis em um intercâmbio, seja ele de um ano ou um mês, é a adaptação a uma nova cultura, idioma e estilo de vida. Tudo parece ser difícil! A comida é estranha, e apesar de o transporte público ser muito eficiente (pelo menos quase sempre), a princípio ele parece um bicho de sete cabeças e a maioria dos intercambistas apanha um pouquinho até aprender a utilizá-lo…

As adversidades atraem um sentimento bastante comum, – SAUDADE! Junto com a saudade, vem a vontade de jogar tudo para o alto e desistir… CALMA! O choque cultural é parte da experiência e encarar as dificuldades com positividade ao invés de levar tudo a ferro e fogo também… E aí eu abro espaço para o último tópico…

SEJA FLEXÍVEL

Nós estamos acostumados a viver na nossa zona de conforto e isso não é ruim, pois é justamente o que nos dá estabilidade, mas ser flexível com as situações inusitadas e com os ‘mini perrengues’ durante um intercâmbio, nos faz encarar as mudanças de uma maneira muito mais leve.

Estar aberto para novas relações torna a experiência muito mais rica. Dar-nos a chance de conhecer melhor pessoas que não têm nada a ver com a gente, pode abrir portas para uma grande amizade. Não estou dizendo que essas pessoas tenham que ser suas melhores amigas para a vida inteira, mas conviver com as diferenças e aceitar que cada uma tem algo bom para acrescentar na nossa vida, é um exercício de tolerância e sabedoria.

Da mesma forma que levamos na bagagem de volta vários souvenirs dos lugares que visitamos, por que não levar também bons momentos e pessoas especiais, não é mesmo?

Eu digo por experiência própria que o destino escolhido é um fator determinante, mas quando olhamos as fotos do intercâmbio, as paisagens, os passeios e os pontos turísticos, não são admirados individualmente, mas sim associados às pessoas com quem compartilhamos tudo isso… Podemos voltar mil vezes à mesma cidade, mas jamais conseguiremos reproduzir aqueles momentos vividos durante o intercâmbio. As pessoas não serão as mesmas, e provavelmente nós também não seremos mais os mesmos, e o que fica são as recordações de uma etapa incrível da nossa vida…

A fase nova da nossa vida começa todo dia e tudo está em constante mudança, então não deixe que os bons momentos se percam no tempo, aproveite-os da melhor forma possível, porque eles não voltam…

NÃO TENHA MEDO DE ANDAR SOZINHO (A)…

Destinos, paisagens, sabores, sensações, idiomas, culturas, vivências, histórias, desafios, aprendizado… Já imaginou conquistar tudo isso em ótima companhia? – A SUA PRÓPRIA COMPANHIA! Não? Pois então meu amigo, VOCÊ NÃO SABE O QUE ESTÁ PERDENDO!!!

Eu sei que experiência é algo muito particular e às vezes o que é bom para mim, não é tão bom assim para você, mas acho que uma viagem é quase sempre uma ótima ideia, não é mesmo? Existem vários tipos de viagem, em família, com amigos (e aí a diversão é garantida!) e até aquela viagem CONSIGO MESMO (A)… Sim, no post de hoje vamos falar sobre VIAJAR SOZINHO (A)! Há um tempo, escrevi sobre como o meu intercâmbio repercutiu positivamente na minha vida e hoje vou tentar mostrar que ter embarcado nessa sozinha me fez enxergar o mundo com outros olhos.

Viajar com a galera é ótimo, afinal, todos se conhecem e os bons momentos, bem como os contratempos, são sempre compartilhados e isso tudo ainda rende boas histórias para serem contadas aos filhos um dia! Em contrapartida, uma viagem solo, pode ser uma das melhores experiências da vida de um ser humano…  Viajar sozinho é uma arte, que nos permite viver tudo nos mínimos detalhes, desafiando todos os medos e inseguranças.

016

AUTOCONHECIMENTO                                     

Quando viajamos sozinhos podemos explorar nossas próprias personalidades e descobrimos que temos muito menos medo do que imaginávamos. Aprendemos a andar com as nossas próprias pernas meio que na marra, pois temos que lidar com habilidades que nem sabíamos que tínhamos… Pronto, oportunidade única para renovar nosso estado de espírito, recarregar as energias e ampliar todas as perspectivas!

Esse é um convite irrecusável para deixar de lado o medo de tudo, nos permitir viver todas as sensações e perceber que muitos dos obstáculos foram plantados por nós mesmos em nossos caminhos…

AMIZADES

Viajar sozinho não significa solidão, muito pelo contrário… Quando viajamos com amigos ou familiares, a tendência é resistir a novas amizades por comodismo. Já nos conhecemos, falamos o mesmo idioma e curtimos mais ou menos as mesmas coisas.

Quando estamos sozinhos, ficamos mais vulneráveis e os laços entre pessoas de diferentes culturas, países, regiões e até crenças, são absolutamente naturais e muitas vezes, são essas amizades que proporcionam os melhores momentos da viagem.

PERSPECTIVAS, SONHOS E PLANOS

Quando embarquei para NY (recém-formada em Farmácia), eu tinha uma meta e na minha cabeça, estava tudo muito bem arquitetado, mas a vida se encarregou de mudar todos os meus objetivos de forma significativa. (Mas não pense você que isso aconteceu de repente…)

Aprendi a exercer o hábito de tentar encontrar o que realmente me faz feliz. Descobri que amo viajar, falar outros idiomas, aprender sobre outras culturas, experimentar novos sabores, conhecer pessoas e, sobretudo, aprendi a ampliar meus horizontes e passei a encarar todas as possibilidades como uma oportunidade! É impressionante como a  vivência pode mudar a nossa vida…

ENCONTRAR O SEU ESPAÇO LONGE DA SUA ZONA DE CONFORTO

Viver longe da nossa zona de conforto é um desafio à parte e esse foi um dos maiores aprendizados! Mesmos lugares, mesmas pessoas, mesmas comidas e… ROTINA, COMODISMO! Entretanto, só conseguimos descobrir quem somos de verdade, quando nos damos uma chance para tal – e isso vale para qualquer coisa na vida! Minha paixão por viagens nasceu justamente da necessidade de superar barreiras e saber aonde sou capaz de chegar…

TEMOS MUITO QUE APRENDER COM O MUNDO

Viajar é uma das melhores coisas do mundo, mas viajar, explorar e aprender sozinho, nos faz pensar, “CARAMBA, EU VIVI ISSO MESMO?” É a chance de conhecer mais sobre nós mesmos, superar obstáculos, experimentar outras culturas nos livrar dos mais incoerentes preconceitos e viver outras vidas!

Do alto do Empire State Building e com Nova York bombando aos meus pés, me dei conta do quão grandiosa aquela experiência era e naquele momento a minha única reação foi… Fechar os olhos e agradecer imensamente a oportunidade de estar ali, tão longe dos meus e ao mesmo tempo tão próxima a mim.

NYC