PEÇA AJUDA

Acordo. Tomo café, mas o pão ~sem glúten porque sou intolerante~ não desce. Tenho que estudar. Daqui quatro horas tenho que estar no trabalho, então antes de estudar vou revisar os conteúdos das aulas que tenho que dar. Tomo mais uma xícara de café. O livro… ainda não li. O aniversário de hoje à noite… vai ter gente e tenho aula antes e acho que não consigo ir trabalhar. O que estou fazendo agora, afinal? Ainda são nove horas. Não quero ler, não preciso revisar as aulas. Alguém está me ligando, mas tenho que estudar e não posso me desconcentrar. O que estou estudando mesmo? O aniversário…

Por que estou tremendo? Vou trabalhar e estou me sentindo melhor. Quero chorar. Já são nove horas e 10 minutos e eu tenho que respirar fundo e ver gente e atender o celular e ler e revisar os conteúdos e estar bem e esperar e ir e… não vou fazer nada disso porque estou ocupada. Estou ocupada sentindo culpa.

“Por que eu não consigo fazer absolutamente nada? É só fazer…”

Você tem medo e insegurança. Não para de pensar e de se cobrar, pois não se sente a altura do que queria ser, e olha ao redor e vê que todo mundo consegue, menos você. Isso é sufocante, eu sei. E sei também que é muito cansativo ter que pertencer ao universo das pessoas proativas, eficientes, criativas, incrivelmente bem resolvidas e “normais” (elas existem?). É um cansaço que não se desmancha ao dormir e parece que a sua existência se resume em um imenso vazio. Sua mente te fala o tempo todo que você está pra trás. Do que? De quem? E você vai meio entorpecido sem conseguir conduzir absolutamente nada, só no piloto automático.

É difícil explicar para o mundo o porquê de não estar conseguindo fazer nem o mínimo do que ele espera de você. Você não consegue fazer nem o mínimo do que você mesmo espera de si, quanto menos o mundo… e na maioria das vezes o mundo não está tão interessado assim em entender.

Eu aprendi que não existe uma dor que dói mais que a outra. A dor que dói é a SUA DOR, seja ela física ou psicológica. As pessoas caem, mas também se levantam e você precisa querer levantar. Não tenha vergonha das suas fraquezas emocionais e PEÇA AJUDA! Não desista de você, assim como eu não estou desistindo de mim. Nós somos muito importantes para nós mesmos acima de tudo.