SENTIMENTOS CONTRADITÓRIOS NO AEROPORTO

up in the air

O dicionário define a palavra aeroporto como um conjunto de instalações preparadas para o tráfego das linhas de transportes aéreos, mas na prática, o aeroporto é o espaço que divide a vontade de abraçar o mundo e o receio de deixar tudo para trás, sonhos e realidade, encontros e despedidas… É uma fábrica de sentimentos variados, mas é exatamente entre o embarque e o desembarque que todos esses sentimentos se encontram e se transformam em um só… SAUDADE… E já digo de antemão, o tamanho dela não é nem um pouco proporcional ao tamanho e ao fluxo do aeroporto, afinal, saudade é saudade em qualquer lugar do mundo e isso não se mede, nem se compara.

O programa Chegadas e Partidas comandado por Astrid Fontenelle no GNT, apresenta com muita propriedade as mais variadas emoções sentidas por pessoas que por algum motivo circulam o Aeroporto Internacional de Guarulhos e eu, não perco um episódio sequer.

Estive semana passada no Aeroporto Internacional de Campo Grande (MS) e me deparei com duas cenas no mínimo emocionantes. A primeira delas foi quando uma menininha de no máximo três anos, esperava ansiosamente o pai e quando ele finalmente apontou no terminal de desembarque, ela simplesmente passou por baixo da proteção e correu gritando PAPAI, PAPAI PAPAI!!!!… Pulou em seu colo e o abraçou fortemente… Minutos depois, sentada em uma cadeira, de frente para uma parede de vidro assistindo a decolagem dos aviões, observei que do meu lado esquerdo, uma senhora chorava incontrolavelmente, porém silenciosamente, fiquei analisando aquela cena e por mais que eu não soubesse o motivo de tamanha tristeza, meu coração entendeu como o choro de uma despedida sem a possibilidade de um reencontro…

Foi impossível não sentir a alegria da criança e a dor da mulher chorando baixinho. Não conheço aquelas pessoas, mas elas me fizeram pensar nas diversas sensações que vivenciamos em um aeroporto e me inspiraram a escrever esse post sentimental.

PARA QUEM PARTE…

Para quem parte, o aeroporto transmite uma mistura maluca de sensações… Junto ao passaporte, cartão de embarque e bagagens, seguem sentimentos… A expectativa de conhecer ou retornar a um lugar especial e a ansiedade por iniciar uma nova etapa se confunde com a dor do último abraço, do último beijo, dos últimos olhares… Por mais que o reencontro tenha data e horário definido, a dor de deixar para trás quem amamos é indescritível.

PARA QUEM FICA…

O relógio é o grande vilão em uma despedida… Uma hora se transforma em um segundo e o desejo de parar o tempo no último abraço é inevitável. De repente todas as indiferenças ficam de lado e o único sentimento que reina naquele momento é a dor da saudade antecipada… Os olhares se cruzam e as lágrimas expressam a insegurança de deixar partir quem mais amamos e a crueldade daquela curvinha para o embarque é imensurável, pois é ali que capturamos a última imagem e quando a pessoa “desaparece” a sensação é que perdemos o controle de tudo, mas na realidade, nós NUNCA tivemos o controle de nada na vida….

PARA QUEM ESPERA…    

O sentimento de quem fica é totalmente inverso ao de quem aguarda alguém especial. A ansiedade pelo reencontro faz com que os ponteiros do relógio se paralisem e o tempo custe a passar. O movimento e os sons são inexistentes e a única coisa que importa é a chegada da pessoa esperada. Os abraços apertados simbolizam a alegria dos reencontros…

chegada

O movimento intenso 24h, correria para não perder o voo, os sons dos alto falantes, as turbinas dos aviões que decolam e aterrissam a todo momento, os painéis informativos… Tudo isso marca a rotina diária dos aeroportos, mas nas entrelinhas, é de AMOR e SAUDADE que se mantém um aeroporto. É entre um encontro e uma despedida que abandonamos a nossa vestimenta de ferro e demonstramos o quanto amamos alguém, e então começa a contagem regressiva para o reencontro, tanto para quem vai, quanto para quem fica, afinal, segundo a música ‘Cartão Postal’, O ADEUS TRAZ A ESPERANÇA ESCONDIDA…

  

ABBEY ROAD STUDIOS E ABBEY ROAD CROSSING… *COME TOGETHER!

abbey road beatles

Cá entre nós, mas alguém ousa negar que essa é uma das imagens mais emblemáticas do mundo? E essa faixa? Quem nunca sonhou em reproduzir essa foto in loco? Pois então, sejam todos bem-vindos à ABBEY ROAD CROSSING e ao ABBEY ROAD STUDIOS!

Fundado em Novembro de 1931 em Londres, o Abbey Road é certamente o estúdio mais famoso do mundo, pois foi marcado pela gravação de grande parte dos clássicos do quarteto fantástico formado por John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr – THE BEATLES! A fama da gravadora se consolidou de fato, com o último disco dos Beatles, batizado de ABBEY ROAD – que por sua vez, trazia em sua capa os quatro integrantes caminhando sobre a faixa de pedestres localizada quase em frente ao estúdio. O disco foi considerado um dos maiores sucessos de venda do mundo!

401

Infelizmente, o icônico estúdio não é aberto para visitação, mas existe um muro branco, cuja tradição é que os turistas/fãs deixem recados, mas a triste notícia é que esse muro é periodicamente pintado, para abrir espaço a outros fãs que também queiram registrar suas homenagens.

Embora os Beatles sejam a cereja do bolo do Abbey Road Studios, artistas como Oasis, Pink Floyd, Adele, Lady Gaga e até mesmo orquestras de trilhas sonoras dos filmes Harry Potter e O Senhor dos Anéis, já passaram por lá e contribuíram para o upgrade do local.

A capa do memorável álbum Abbey Road, lançado em 26 de Setembro de 1969, eternizou a faixa de pedestres que conforme já mencionado anteriormente, encontra-se quase em frente ao estúdio… Desde então, a travessia se tornou um ponto turístico da capital inglesa e a foto clássica da capa do disco, passou a ser reproduzida por turistas dos quatro cantos do mundo e devido à imponência , em 2010, a faixa se tornou Patrimônio Histórico Inglês. Além disso, existe uma lei que obriga os motoristas a pararem toda vez que um turista estiver fazendo a travessia, ou registrando o momento.

1779856_647054865355152_71446430_n

1429

400

Um fato bastante interessante é que existe uma câmera 24 horas online, filmando tudo o que acontece na Abbey Road… Preciso dizer que os turistas fazem a festa acenando, fazendo poses e mandando recados para os que estão assistindo? Não né? Haha. Ficou curioso? Então cliquei aqui para conferir!

O transporte público de Londres é extremamente eficiente e te leva para qualquer parte da cidade, portanto, é super simples chegar até o local… O estúdio e a faixa estão localizados em uma rua do bairro Camden, chamada (adivinha?) ABBEY ROAD. Os turistas devem pegar a Jubilee line – linha cinza do London Underground e ir em direção à estação St. John’s Wood e caminhar algumas quadras até encontrar o estúdio.

Os Beatles fizeram história no mundo da música e com o passar do tempo, exploraram vários gêneros musicais e conquistaram fama, notoriedade e popularidade. O potencial artístico dos ‘Fab Four’ atraiu admiradores do mundo inteiro e para descrever o intenso sucesso, criou-se o termo BEATLEMANIA.

Há quem diga que ir até o Abbey Road Studios e reproduzir os passos do quarteto de Liverpool é um verdadeiro clichê e pode até ser considerado um programa “cafona”. Caso você tenha esse tipo de pensamento, saiba que não é preciso nem ser um Beatlemaníaco para admitir que o local apresenta uma vibe mágica.

Para os fãs incondicionais (BEATLEMANÍACOS) espalhados pelo mundo afora, fazer a travessia sobre a faixa é praticamente uma celebração, digna de deixar os olhos marejados, o que caracteriza a emoção de conhecer o lugar onde foram produzidos os clássicos de uma das bandas mais influentes do mundo.

*OH! DARLING, NÃO TENHA DÚVIDA DE QUE VALE A PENA VIVENCIAR ESSE CLICHÊ!

*THE END, mas não se preocupe, *BECAUSE *HERE COMES THE SUN!

NÃO TENHA MEDO DE ANDAR SOZINHO (A)…

Destinos, paisagens, sabores, sensações, idiomas, culturas, vivências, histórias, desafios, aprendizado… Já imaginou conquistar tudo isso em ótima companhia? – A SUA PRÓPRIA COMPANHIA! Não? Pois então meu amigo, VOCÊ NÃO SABE O QUE ESTÁ PERDENDO!!!

Eu sei que experiência é algo muito particular e às vezes o que é bom para mim, não é tão bom assim para você, mas acho que uma viagem é quase sempre uma ótima ideia, não é mesmo? Existem vários tipos de viagem, em família, com amigos (e aí a diversão é garantida!) e até aquela viagem CONSIGO MESMO (A)… Sim, no post de hoje vamos falar sobre VIAJAR SOZINHO (A)! Há um tempo, escrevi sobre como o meu intercâmbio repercutiu positivamente na minha vida e hoje vou tentar mostrar que ter embarcado nessa sozinha me fez enxergar o mundo com outros olhos.

Viajar com a galera é ótimo, afinal, todos se conhecem e os bons momentos, bem como os contratempos, são sempre compartilhados e isso tudo ainda rende boas histórias para serem contadas aos filhos um dia! Em contrapartida, uma viagem solo, pode ser uma das melhores experiências da vida de um ser humano…  Viajar sozinho é uma arte, que nos permite viver tudo nos mínimos detalhes, desafiando todos os medos e inseguranças.

016

AUTOCONHECIMENTO                                     

Quando viajamos sozinhos podemos explorar nossas próprias personalidades e descobrimos que temos muito menos medo do que imaginávamos. Aprendemos a andar com as nossas próprias pernas meio que na marra, pois temos que lidar com habilidades que nem sabíamos que tínhamos… Pronto, oportunidade única para renovar nosso estado de espírito, recarregar as energias e ampliar todas as perspectivas!

Esse é um convite irrecusável para deixar de lado o medo de tudo, nos permitir viver todas as sensações e perceber que muitos dos obstáculos foram plantados por nós mesmos em nossos caminhos…

AMIZADES

Viajar sozinho não significa solidão, muito pelo contrário… Quando viajamos com amigos ou familiares, a tendência é resistir a novas amizades por comodismo. Já nos conhecemos, falamos o mesmo idioma e curtimos mais ou menos as mesmas coisas.

Quando estamos sozinhos, ficamos mais vulneráveis e os laços entre pessoas de diferentes culturas, países, regiões e até crenças, são absolutamente naturais e muitas vezes, são essas amizades que proporcionam os melhores momentos da viagem.

PERSPECTIVAS, SONHOS E PLANOS

Quando embarquei para NY (recém-formada em Farmácia), eu tinha uma meta e na minha cabeça, estava tudo muito bem arquitetado, mas a vida se encarregou de mudar todos os meus objetivos de forma significativa. (Mas não pense você que isso aconteceu de repente…)

Aprendi a exercer o hábito de tentar encontrar o que realmente me faz feliz. Descobri que amo viajar, falar outros idiomas, aprender sobre outras culturas, experimentar novos sabores, conhecer pessoas e, sobretudo, aprendi a ampliar meus horizontes e passei a encarar todas as possibilidades como uma oportunidade! É impressionante como a  vivência pode mudar a nossa vida…

ENCONTRAR O SEU ESPAÇO LONGE DA SUA ZONA DE CONFORTO

Viver longe da nossa zona de conforto é um desafio à parte e esse foi um dos maiores aprendizados! Mesmos lugares, mesmas pessoas, mesmas comidas e… ROTINA, COMODISMO! Entretanto, só conseguimos descobrir quem somos de verdade, quando nos damos uma chance para tal – e isso vale para qualquer coisa na vida! Minha paixão por viagens nasceu justamente da necessidade de superar barreiras e saber aonde sou capaz de chegar…

TEMOS MUITO QUE APRENDER COM O MUNDO

Viajar é uma das melhores coisas do mundo, mas viajar, explorar e aprender sozinho, nos faz pensar, “CARAMBA, EU VIVI ISSO MESMO?” É a chance de conhecer mais sobre nós mesmos, superar obstáculos, experimentar outras culturas nos livrar dos mais incoerentes preconceitos e viver outras vidas!

Do alto do Empire State Building e com Nova York bombando aos meus pés, me dei conta do quão grandiosa aquela experiência era e naquele momento a minha única reação foi… Fechar os olhos e agradecer imensamente a oportunidade de estar ali, tão longe dos meus e ao mesmo tempo tão próxima a mim.

NYC

VAI ROLAR PELO MUNDO – INTERNATIONAL PILLOW FIGHT DAY!!!

Sabe aquela clássica guerrinha de travesseiros que rolava nas noites do pijama na nossa infância (e adolescência também)? Então, se eu disser que lá na gringa isso se tornou um verdadeiro flash mob e atualmente é um evento que acontece em várias cidades do mundo, vocês acreditam? Pois bem, ACREDITEM!

No International Pillow Fight Day, algumas praças e parques se tornam salas e quartos públicos… O evento acontece em várias metrópoles do mundo, desde Budapeste, Amsterdam até Nova York!

A idéia principal desse flash mob é proporcionar um momento de descontração tanto para quem participa, quanto para quem assiste. Mas não se engane, embora seja algo divertido, existem regras estipuladas previamente, – a começar pelas datas de realização – O Pillow Fight Day, é sempre ‘comemorado’ no primeiro Sábado do mês de Abril, ou seja, é uma ‘bangunça’ organizada! Clique aqui para conferir!

Em NY, o Pillow Fight Day geralmente acontece no Washington Square Park e em 2012 eu e alguns amigos fomos conferir pessoalmente como é o desenrolar do evento! Os envolvidos, literalmente chegam até a praça/parque com seus travesseiros em mãos e os curiosos, geralmente turistas, não desgrudam de suas câmeras e celulares um minuto sequer, todos querem registrar cada instante desse fun moment! A galera que protagoniza o evento, normalmente organiza equipes para competições e o mais interessante é que a grande maioria respeita as regras, como por exemplo: levar travesseiros macios e sem penas, balançá-los de forma suave para evitar que alguém se machuque, não jogar travesseiros em pessoas que não estejam participando, respeitar o sinal READY, SET, GO! E por aí vai…

O Washington Square Park já é por si só um lugar lindo e o Pillow Fight Day é marcado pelo início da primavera, ou seja, as flores estão desabrochando e as árvores começam a receber suas novas folhas, parece que tudo cria vida!

Esse ano o International Pillow Fight Day acontecerá no dia 04 de Abril (Sábado) e se você estiver em NY ou em qualquer outra cidade que irá promover o evento, PARTICIPE – mesmo que indiretamente… Garanto que você e seus amigos irão se divertir absurdamente, além de conhecer lugares e pessoas diferentes! HAVE FUN!!!!